A RegiãoDestaques

Eles querem ser ouvidos, respeitados, central de libras e ensino bilíngue

0

Pessoas com deficiência auditiva em Itabuna se mobilizam para ver seus direitos respeitados. Em sessão especial, realizada dia 8, a Câmara de Vereadores debateu pleitos do segmento, com foco na criação de uma Central de Libras e a implantação do ensino bilíngue (português e Libras) nas escolas municipais.

O evento foi uma iniciativa do presidente da Câmara Municipal, vereador Erasmo Ávila (PSD), que deu espaço para a Associação de Surdos e Surdas as de Itabuna (Assi), representada pelo presidente Gabriel Brandão.

A sessão lembrou os 19 anos da Lei 10.436/02, que reconhece a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio legal de comunicação no país. Participaram dos debates a professora da UESC, Lucília Lopes; a professora da rede municipal, Adneia de Oliveira; o doutorando Ricardo Dantas; o secretário de Governo, Júnior Brandão, e Geny Xavier da Fundação FICC, que prepara um projeto para mapear o público surdo e, com isso, desenvolver políticas culturais de inclusão.

Erasmo anunciou o treinamento em Libras com os vereadores e que a Câmara abraçará a causa, além de lembrar do projeto de lei para sinalização, com Libras, para placas de ruas, escolas e paradas de ônibus.

A sessão foi encerrada com o discurso em Libras da servidora da Câmara, Roberta Brandão. “Meu compromisso de servidora pública, oferto à comunidade surda. Língua é protagonismo, liberdade, é resistência”. Esse  clamor por uma sociedade mais justa e inclusiva merece o apoio de todos.

Com informações do Ipolítica / (foto: Pedro Augusto)

Compartilhe no WhatsApp

Coisa vai “ficar russa” para Anvisa se não explicar demora da vacina Sputnik

Previous article

Ilhéus: cidade de Gabriela, cravo, canela e solidariedade

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.