DestaquesPolítica

É mole? Só 6,2% para vacinação do que gastou com o “cuidado precoce”

0

A cada nova informação sobre a ação do governo no combate à pandemia, desmente o discurso do presidente e seus ministros. Na CPI, uma fala desmente o depoente anterior. E, agora, matéria do UOL mostra que a Secom, que faz a comunicação do governo federal, destinou à vacinação 6,2% do que gastou para pregar ‘cuidado precoce’.

Documento enviado à CPI da Covid no Senado, indica que, até outubro de 2020, a Secom autorizou R$ 19.370.015,27 nas ações para os “cuidados precoces”. Enquanto para promover a vacinação, apenas R$ 1,2 milhão.

Ao portal, o Ministério da Saúde não especificou qual foi o valor desembolsado com a divulgação do PNI (Plano Nacional de Imunização), mas disse que foram realizadas 25 campanhas publicitárias “com os mais diversos temas” desde março de 2020,

O documento mostra que, entre as contratações feitas pela Secom, mais de R$ 1,3 milhão foram utilizados para custear serviços de marketing com influenciadores digitais.

CONFIRMOU

Em depoimento à CPI, o ex-chefe da Secom Fábio Wajngarten confirmou que a pasta realizou investimentos com o intuito de difundir o uso de remédios propagandeados pelo presidente Bolsonaro. Segundo ele, só em janeiro desse ano, a vacinação passou a ser prioridades nas ações da secretaria, com campanhas veiculadas junto ao Ministério da Saúde.

Compartilhe no WhatsApp

Disque Denúncia da Segurança Pública muda para 181

Previous article

Ilhéus joga limpo com suas praias fazendo limpeza e manutenção

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.