A RegiãoDestaquesMovimentos

Amanda Santos diz que reduzir FGTS é novo golpe do governo Bolsonaro

0

Trabalhadores e sindicalistas estão em alerta com uma nova intenção do governo Bolsonaro. A equipe econômica está elaborando um plano de estímulo ao emprego que prevê a redução da contribuição das empresas para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

A informação foi revelada na sexta (13) pelo jornal Folha de S.Paulo. O Palácio do Planalto e o Ministério da Economia não se pronunciaram sobre a notícia. O plano, segundo apuração da Folha, é reduzir o depósito mensal de 8% para 2% do salário, e cortar a multa paga na demissão, de 40% para 20% do total do FGTS.

Essa medida seria feita por meio de Medida Provisória, que tem validade imediata, mas depois precisa ser votada pelo Legislativo. A Folha diz ter tido acesso a três minutas dessa possível MP.

“A proposta de redução das alíquotas das contribuições dos serviços sociais autônomos não apenas reduzirá o custo da contratação de trabalhadores, como também contribuirá com a geração de novos empregos”, diz o texto, que se repete nos três documentos. O jornal informa que essa flexibilização está em fase de estudo e que não há uma decisão final tomada.

CTB SUL REPUDIA

Coordenadora da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) Regional Sul Bahia, Amanda Santos repudia essa possibilidade. “Sob o argumento de gerar empregos, o governo Bolsonaro ataca um direito histórico da classe trabalhadora. O FGTS é uma espécie de poupança especial para quando a pessoa é demitida. Desde 2016, os governos de Michel Temer e de Jair Bolsonaro fizeram reformas trabalhistas alegando o mesmo motivo. O que se viu não foi a geração de mais empregos. Vimos, sim, mais desemprego e mais precarização do trabalho”, pontua.

Segundo a sindicalista, que também é diretora do Sindicato dos Comerciários de Itabuna, o governo quer colocar para os trabalhadores e as trabalhadoras mais uma conta de sua incopetente gestão. “O que gera emprego é crescimento econômico, com o Estado sendo o articulador do desenvolvimento junto à iniciativa privada. Mas, o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, nunca apresentarm um projeto para o País. E aproveitam a crise para retirar mais direitos”, critica.

Amanda reforça que a CTB e as outras centrais defendem outro caminho para o Brasil. “Esse governo não sabe que é preciso fortalecer o mercado interno, melhorando os salários e apoiando as pequenas e médias empresas, que geram a maioria dos empregos. Queremos desenvolvimento econômico com a valorização do trabalho. Engraçado é que, quando a economia vai bem, ninguém fala em ampliar direitos e dar mais participação nos lucros. Se o governo insistir em reduzir o FGTS, vamos responder com muita luta”, afirma.

Compartilhe no WhatsApp

Zezé lamenta morte de Breno Silveira, diretor de ‘Dois Filhos de Francisco’

Previous article

Nova secretaria vai fortalecer ações na zona rural de Ilhéus

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.