A RegiãoDestaques

Por que a vacinação de grávidas foi suspensa em Itabuna?

0

Itabuna e várias cidades brasileiras decidiram suspender a aplicação da vacina Oxford/AstraZeneca, contra a Covid-19, em gestantes. A orientação partiu da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Um fato como esse mexe com a expectativa de todos que esperam ampliar a imunização da população. Afinal, as grávidas vivem um momento especial de suas vidas e precisam cuidar para que a gestação se desenvolva com toda segurança.

EXPLICAÇÃO

Após liberar o uso de uma vacina, atém mesmo em caráter emergencial, é preciso observar se algo adverso ocorre. Verificando que ocorreu, a orientação é suspender. Essa decisão foi tomada após uma gestante e o feto que carregava morrerem dias após a vacinação.

Segundo a CNN Brasil, a Anvisa fala em “evento adverso” e não em “efeito adverso”. Ou seja, não há, até o momento, confirmação de nexo causal entre a vacina e o caso da gestante, acometida com um acidente vascular cerebral.

A Anvisa disse que a indicação da bula da vacina AstraZeneca deve ser seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). E o seu uso em grávidas não está previsto, pois o imunizante não foi testado nesse grupo. Apenas vinha sendo usada em gestantes com comorbidades. Agora, só podem ser aplicadas nas grávidas a CoronaVac e a vacina da Pfizer.

A pandemia e a corrida para produzir vacinas mostra que ainda temos um caminho longo para entender melhor o coronavírus e a Covid-19. Isso para produzir, em grande quantidade, imunizantes que combatam a doença sem prejudicar qualquer grupo com características específicas.

Compartilhe no WhatsApp

“Jogo limpo” em Itabuna: famílias do lixão protestam, prefeito atende

Previous article

Jovem diretor da Buriti é candidato único na ACI

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.