DestaquesGeral

Planos de saúde agradecem Bolsonaro por vetar obrigatoriedade da cobertura de quimioterapia oral

0

Mais uma atitude do presidente Bolsonaro que afeta a classe média e todos que possuem plano de saúde. Nesta segunda (26), ele vetou o projeto que tornava obrigatória cobertura de tratamento de uso oral contra câncer. O argumento é de que os remédios são caros e o PL 6330/19 “contrariaria o interesse público”, apesar de dizer enxergar “boa intenção”.

O governo afirmou ainda que a medida poderia comprometer a “sustentabilidade” dos planos de saúde, pois haveria “inevitável repasse desses custos adicionais aos consumidores” e “riscos à manutenção da cobertura privada aos atuais beneficiários, particularmente os mais pobres”.

De autoria do senador Reguffe (Podemos-DF), a matéria foi aprovada pela Câmara em julho. A relatora, deputada Silvia Cristina (PDT-RO), destacou na ocasião que “a mudança da legislação é imprescindível para dezenas de milhares de brasileiros que, mensalmente, gastam considerável parte do seu orçamento para garantir um plano de saúde”. O senador visitou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga para pedir a sanção do projeto. Mas, o governo ignorou o apelo

Ex-ministro da Saúde, o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), também foi favorável ao projeto. “As medicações garantem a possibilidade de um tratamento mais efetivo, com menos hospitalização, mais humanização e ganho de vida”, declarou.

RESUMO DA ÓPERA – Os argumentos do governo mostram que salvar vidas não é de interesse público. Mas, proteger os planos de saúde, sim. Se são medicamentos caros, caberia ao governo ajudar quem precisa deles para sobreviver.

Compartilhe no WhatsApp

Aí, é limpeza; Setre entrega equipamentos de proteção para catadores do Extremo Sul

Previous article

INSS inicia, em agosto, revisão do benefício por incapacidade de 170 mil segurados

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.