A RegiãoDestaques

Pesquisador da Uesc usa tecnologia para rastrear origem dos produtos

0

A tecnologia Blockchain é usada nas áreas do mercado financeiro e da tecnologia da informação e comunicação (TIC). Mas, Rogério Oliveira, pesquisador baiano da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), resolveu avaliar o potencial dela na composição de um sistema de rastreabilidade de origem dos produtos.

Segundo Rogério, o objetivo é garantir a autenticidade dos dados do produto e avaliar se ele está de acordo com os padrões informados nas embalagens. O Sistema de Rastreabilidade faz com que a informação do processo produtivo chegue ao consumidor para que ele seja capaz de identificar as características importantes do produto final. Já as certificações buscam evidenciar a aplicação de boas práticas de produção, do aspecto social até o ambiental.

“Neste contexto, a blockchain seria aplicada para garantir a autenticidade dos dados do produto e do Certificado de Qualidade, o qual atesta que a amostra está em conformidade com os padrões da Unidade Certificadora, apresentados pelo sistema de rastreabilidade de origem”, afirma.

O pesquisador afirma que, até o momento de sua pesquisa, não existiam, no Brasil, outros projetos utilizando a blockchain em sistemas de rastreabilidade. “Queremos disponibilizar a nossa tecnologia para Indicações Geográficas utilizarem, sem precisar dispor de muito dinheiro para a implementação do projeto. As Indicações Geográficas garantem proteção intelectual que reconhece a origem de um produto quanto à sua localidade e reputação atribuída às suas características regionais, assim como os fatores naturais e humanos”, destaca.

Para Rogério, esse projeto ajudará, também, os produtores baianos. “Na maioria das vezes, os centros compradores estão distantes dos centros produtores. Disponibilizar e popularizar um meio para checagem de referências com maior confiabilidade é relevante. Ao agregar valor aos produtos, fortalecendo os processos de produção, é possível atribuir um preço que faz jus a uma boa remuneração para os produtores e que também corresponde aos ideais de sustentabilidade”, finalizou.

Com informações da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti) 

Compartilhe no WhatsApp

Choque no bolso: conta de luz deve ficar ainda mais cara para os brasileiros

Previous article

Para conquistar jovens, ACM Neto aposta no movimento “Rota da Mudança”

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.