DestaquesGeral

Não é “coisa de mulher” e Salvador fez ação solidária contra a pobreza menstrual

0

O assunto é novo, mas já vem sendo tratado no mundo inteiro e desperta atenção para mobilizações solidárias: a pobreza menstrual. É uma definição do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para a falta de acesso a recursos, infraestrutura e conhecimento por parte das pessoas que menstruam, especialmente as mas carentes.

Em Salvador, neste sábado, uma ação arrecada produtos de higiene pessoal, no Campus Tancredo Neves da Universidade Salvador (Unifacs), com apoio da Prefeitura Municipal. As pessoas podem doar pacotes de absorventes, sabonetes, papel higiênico e kits de shampoo e condicionador.

Os produtos arrecadados serão encaminhados para as instituições Lar Pérolas de Cristo, que recebe crianças e adolescentes para acolhimento institucional; Movimento Popular de Rua, voltado para pessoas em situação de rua; Instituto Renascer Mulher, que trabalha com jovens em comunidades carentes; e para o Grupo de Apoio à Prevenção à Aids da Bahia (Gapa-Bahia).

ITEM DE LUXO

Segundo o relatório “Pobreza Menstrual no Brasil: Desigualdade e Violações de Direitos”, do Unicef, 713 mil meninas do país não têm acesso a banheiros ou chuveiros em suas casas para se cuidar quando estão menstruadas. Outras 4 milhões não têm, na escola, itens de cuidados básicos para esse período. Estudo do IBGE revela que cerca de 13 milhões de brasileiros se encontram abaixo da linha da pobreza e consideram absorvente item de luxo.

A ação em Salvador tem como madrinha a vice-prefeita e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos, e é realizada pelo projeto Ambulatório Multiprofissional em Saúde (AMU), que faz parte da Extensão Comunitária da Unifacs. São parceiros da iniciativa a Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Empresa Salvador Turismo (Saltur), Cufa Bahia, TV Aratu e os projetos Rede Afeto e Luto por Elas.

PROJETO NA ASSEMBLEIA

Isso não é “coisa de mulher”. É uma questão de saúde públicas e responsabilidade de toda a sociedade. A deputada estadual Olívia Santana (PC do B) apresentou projeto de lei na Assembleia Legislativa. “Nosso objetivo é incluir, na Política Estadual da Saúde da Mulher, a conscientização e o combate à Pobreza Menstrual da mulher e da adolescente. Grantindo, ainda, a distribuição gratuita de absorventes nas unidades de saúde, escolas públicas e unidades prisionais e de ressocialização”, explica.

Com informações do Bahia Notícias

Compartilhe no WhatsApp

Sindicato celebra reajuste e abono nos supermercados

Previous article

Milhões de doses de hidroxicloroquina doadas pelos EUA estão encalhadas no Brasil

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.