DestaquesGeral

Medalha de prata, menina de ouro; Rebeca faz o mundo dançar ao som da favela

0

A primeira medalha da ginástica feminina do Brasil veio com o melhor som das periferias brasileiras, “Baile de Favela”, e o talento de uma menina de 22 anos. Rebeca Andrade cresceu na periferia de Guarulhos, deixou a casa da mãe aos 9 anos para se dedicar ao esporte e superou três lesões graves no joelho.

Ela pensou em desistir e para sorte do Brasil, sua mãe Rosa Santos não deixou, nos orgulhando com a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio e sendo a segunda mais completa do mundo. A americana Sunisa Lee ficou com o ouro e a russa Angelina Melnikova, levou o bronze.

Rebeca disputou os primeiros lugares desde o início, indo bem em todos os exercícios. Mas, no solo, a atleta cometeu deslizes pisando fora da área delimitada por duas vezes, mas tirou 13.666, garantindo a prata.

O mundo se rende e dança no baile da favela e nossa brasileira ainda compete por mais duas medalhas: na final por aparelhos no solo e no salto, seus dois melhores exercícios. Por toda a história de Rebeca, que representa milhões de meninas das periferias, a medalha foi de prata, mas ela é de ouro.

Com informações do GE e Metro1

Compartilhe no WhatsApp

AstraZeneca tinha alertado governo que não negociava via intermediários

Previous article

Prefeito Augusto Castro pede curso de Medicina na UFSB em Itabuna

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.