A RegiãoDestaques

Ilhéus reforça defesa do polo industrial moageiro do Sul

0

Considerado o maior da América Latina, o polo industrial moageiro de Ilhéus foi objeto de debate entre o prefeito Mário Alexandre (PSD) e representantes industriais do segmento. A videoconferência aconteceu nesta quinta (18).

Participaram o vice-prefeito Bebeto Galvão; a secretária de Desenvolvimento Econômico e Inovação (SDE), Soane Galvão; representantes da Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau (ANIPC), representada por Ana Paula Losi, e as três indústrias de moagem de cacau em Ilhéus: Barry Callebaut com a presença de Conrado Meoti, a OLAM, representada por Elício Amado, e a Cargil, por Fulvio Albuquerque.

“Ficamos felizes em nos certificar de que o setor da indústria moageira anda de mãos dadas com o município no sentido da firme permanência industrial em nosso território, com pretensão de ampliar suas plantas. Isso, por si só, afasta qualquer rumor ou interpretação de desindustrialização das moageiras de cacau de Ilhéus para o Estado do Pará. Ao contrário: novas indústrias querem se instalar aqui. Dialogamos para levar melhorias para o acesso ao distrito industrial, nas áreas de segurança e transporte público”, destacou o prefeito.

Soane Galvão ressaltou a importância dos incentivos fiscais e da empregabilidade no setor. “O prefeito sancionou uma lei de incentivos fiscais para a implantação e ampliação de indústrias. Nosso objetivo é garantir a permanência das indústrias existentes e ampliar nosso polo moageiro, trazendo outras processadoras de cacau para gerar mais emprego e renda para os ilheenses”, defendeu.

Segundo o vice-prefeito Bebeto Galvão, o polo de Ilhéus processa 95% do cacau do Brasil, correspondente a 275 mil toneladas ao ano. “Consideramos a importância econômica das empresas sediadas em Ilhéus. A manutenção e ampliação das plantas tanto da Barry quanto da OLAM, garantem os empregos, renda, tributos e de que Ilhéus, e a Bahia, continuarão a ser um dos principais parques moageiros do cacau de toda a América Latina e do mundo”, afirmou.

Bebeto também reforçou a necessidade do aumento da produtividade da cacauicultura com financiamento para o agricultor e assistência técnica, para que a capacidade instalada das empresas encontre lugar na oferta do cacau in natura.

Com informações da Prefeitura

Compartilhe no WhatsApp

No antigo lixão, secretária avalia medidas de resgate dos animais

Previous article

Câmara aprova ticket-alimentação de agentes de saúde e de combate às endemias

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.